Os Programas de Trainee estão em crise? – Você RH Online

TraineeInspirados no modelo das empresas americanas, os programas de trainee se massificaram no Brasil a partir dos anos 80 e se tornaram uma das principais fontes de formação de jovens líderes nas grandes empresas. No entanto, recentemente as companhias decidiram colocar na balança os custos e os benefícios da iniciativa. Isso porque, num mercado ávido por profissionais bem preparados e sem pudor em atrair pelo bolso, manter um programa de trainee custa caro e o retorno após seu término nem sempre acontece. “Há empresas que investem fortunas nesses programas e veem o concorrente, que não desembolsou um tostão em desenvolvimento, fazer uma proposta tentadora e tirar o jovem que elas formaram”, diz o presidente de uma consultoria em São Paulo.

Não à toa, companhias que buscam especialistas em áreas técnicas ou que terão necessidade de preencher vagas de gerência apenas no longo prazo têm optado por um formato mais barato e eficiente: o estágio. Segundo um levantamento da Catho, em 2012 foram abertas 64 312 vagas de estágio, ante 3 063 para trainees. A Cia. de Talentos também vem mapeando a evolução dos dois modelos. De 2009 a 2012, o número de programas de estágio dobrou. O número de programas de trainees também cresceu, mas numa proporção menor – abaixo de 80%.

Acompanhe a matéria no portal Você RH, com dados da Catho.

Deixe uma resposta