Ascensão da mulher executiva

mulher executivaEmbora ainda seja minoria, a mulher tem aumentado a sua participação no mercado de trabalho. Dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) revelam que o nível de emprego com carteira assinada para as mulheres cresceu 5,93% em relação a 2012, elas representam atualmente em torno de 45% dos profissionais ativos.

Outro crescimento importante foi o da liderança em cargos executivos, a pesquisa do banco de dados da Catho mostra que a diferença chega a 72% em comparação ao ano de 2002. Estas profissionais, que antes eram reconhecidas apenas em micro empresas e áreas mais específicas, hoje já podem ser encontradas ocupando cargos mais elevados em grandes organizações de diversos segmentos.

Os cargos com maior aumento foram gerente e supervisor, com aumento de 72% e 69%, respectivamente. Depois vice-presidente (62%), seguido de presidente (58%), coordenador (50%) e líder (49%). Por último na lista vêm os cargos de encarregado (35%) e diretor (26%).

As principais explicações para o crescimento são o nível elevado de escolaridade e as características interpessoais mais presentes no sexo feminino. As executivas se destacam, pois lidam de maneira diferente com os negócios, são mais focadas, possuem maior sensibilidade e melhor capacidade de gerir e gerenciar a equipe.

No cenário de pleno emprego, no qual o acesso ao ensino superior está cada vez mais facilitado, as especializações são uma ótima maneira de se destacar, especialmente para a mulher que está pouco a pouco se posicionando no mercado de trabalho e garantindo mais espaço.

Deixe uma resposta