Saiba como voltar ao mercado de trabalho – Yahoo! Brasil

Como encarar os dias ou meses pós-demissão? Para muitos, este é um período traumático, mas o tempo que se sucede à perda do emprego deve ser aproveitado o máximo possível para preparações e planejamentos. Em vez de lamentar ou ruminar os erros do passado, esta fase é essencial para ver o que pode ser melhorado e traçar novos caminhos.

Segundo a consultora da Catho Online, site de classificados online de currículos e empregos, Daniella Correa, não adianta o profissional olhar demais para trás. “Ao ser demitido, ele precisa manter a racionalidade e fazer uma reflexão de tudo que aconteceu, qual foi a sua responsabilidade e o que é possível aprender e melhorar”, afirma.

Neste período, é importante fazer um levantamento sobre a carreira e experiências e definir um objetivo profissional. Em seguida, se dedicar na elaboração de um bom currículo, na sua divulgação e se preparar para as entrevistas de emprego, com a ajuda de profissionais.

De acordo com uma pesquisa da Catho, atualmente um profissional permanece desempregado por cinco meses, em média. E a recolocação vai depender de muitos fatores, como experiência no mercado, formação acadêmica, entusiasmo, relacionamento, idade, nível salarial, etc.

Fatores psicológicos não podem influir
A analista de marketing do Grupo Sonda IT, Lívia Marinho, passou poucas e boas após sua última demissão. “Quando fui mandada embora, chorei muito, por dias, acreditando que não conseguiria trabalhar de novo”, conta.

Segundo ela, recuperar a motivação foi o fator decisivo para que conseguisse recuperar o emprego, na mesma empresa onde estava antes. “Levantei a cabeça e fui atrás de informações de como eu deveria agir. Aí está um ponto importante: a automotivação. A situação psicológica fica péssima e para uma pessoa sair desse estado precisa ter um objetivo muito bem definido e ir atrás, igual a um cavalo de corrida”, afirma.

Busque rapidamente sua recolocação
Logo que foi mandado embora, é importante que o profissional comece a buscar rapidamente sua recolocação no mercado. Um bom caminho para isso é enviar currículos, cadastrar-se em sites de vagas e ativar sua rede de contatos.

Segundo Mariana Malvezzi, coordenadora do curso Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos do Centro Universitário Senac, é preciso também que o profissional faça uma avaliação de sua participação em seu último posto. “Deve começar avaliando seu último trabalho. O que desenvolveu? Onde criou oportunidades para a empresa? Em quais situações e como poderia ter aproveitado melhor as oportunidades que teve na organização? Em seguida, deve elaborar seu objetivo/ trajetória profissional e com base nisso atualizar seu CV”, aconselha.

Troca de profissão
Ainda na ânsia de novos caminhos, alguns trabalhadores resolvem mudar de profissão, entrando em áreas que estejam em alta, com boa oferta de vagas. Isso nem sempre é um bom negócio.

“O profissional deve tomar cuidado com áreas ou profissões da moda”, adverte Daniella. “A decisão de mudança deve ser tomada com cautela, a fim de que seja feita a melhor opção. É importante verificar quais são as perspectivas dessa nova área”, diz.

Partir para outro ramo requer, inclusive, uma situação financeira estável, já que o profissional iniciará em um cargo menor, com salário mais baixo. Ele terá que se dispor a estudar, ganhar experiência e depois buscar alcançar cargos maiores, tudo de novo e, neste meio tempo, a área que antes era promissora pode deixar de ser.

Cursos profissionalizantes
Tanto para se reciclarem quanto para adquirir novos conhecimentos, os trabalhadores têm procurado os cursos profissionalizantes cada vez mais. No entanto deve-se pesquisar bastante sobre a escola e o curso a ser feito a fim de não tomar uma decisão errada que lhe possa custar tempo e dinheiro.

“É importante que o profissional busque informações sobre a instituição para verificar a certificação do curso. Além disso, pesquisar sobre a qualidade do ensino, com ex-alunos, Guia do Estudante e instituições de pesquisa”, analisa Daniella.

Alguns dos cursos mais procurados na atualidade, segundo a Catho Online, são os dos setores de vendas, administração, petróleo e gás, enfermagem, saúde e tecnologia da informação (TI).

Por Alex Sanghikian, especial para o Yahoo! Brasil

Deixe uma resposta