Catho Online no Portal Exame

Mais da metade dos executivos brasileiros têm algum tipo de objeção a contratar pessoas acima do peso

No mercado de trabalho, corpo é cartão de visitas. Pelo menos é o que aponta uma pesquisa realizada pelo site de emprego Catho Online com profissionais em cargos de alta gerência. Dos 16 mil entrevistados, 59,1% admitiram ter algum tipo de objeção na hora de contratar funcionários obesos. Os candidatos com “quilinhos a mais” só perdem para quem trocou muito de emprego nos últimos anos (83,0%) e para os fumantes (81,9%).

Além de sair em desvantagem na seleção, pessoas gordinhas também ganham menos. Cada ponto a mais no Índice de Massa Corporal (IMC), que determina o equilíbrio entre peso e altura, representa R$ 92 a menos no salário, em comparação com os colegas mais magros. “Talvez as empresas considerem que pessoas com excesso de peso ou obesidade tendem a faltar mais ao trabalho por questão de saúde, o que ocasinaria a diferença de salário”, diz o gerente de atendimento da Catho Online Lucio Tezotto.

Não há dúvidas de que gordura em excesso traz riscos e custos. Pessoas obesas estão mais vulneráveis a desenvolver problemas de articulação e coluna. Além disso, a obesidade está frequentemente associada a pressão alta, colesterol elevado, diabetes e sedentarismo, fatores de risco cardiovascular que, na pior das hipóteses, podem levar a morte. Em certa medida, a saúde fragilizada de um candidato pode justificar o baita pé atrás dos executivos. “É possível que o contratante tema um rendimento abaixo da média, ou até mesmo o encarecimento de custos com convênios de saúde”, diz Tezotto.

Apesar de terem lá seu fundamento, justificativas de cunho médico não são suficientes para explicar as dificuldades que pessoas com sobrepeso encontram para conseguir emprego. Geralmente atrelados a preconceitos, os motivos por trás das rejeições das empresas muitas vezes esbarram no obscurantismo. “Um discurso comum no meio é o de que quem tem o desleixo de engordar também vai ser desleixado no trabalho”, destaca a Dr. Joana de Vilhena Novaes, psicóloga e coordenadora do Núcleo de Doenças da Beleza do Laboratório Interdisciplinar de Pesquisa e Intervenção Social- LIPIS da PUC-Rio.

Segundo a especialista, no Brasil o corpo esbelto é considerado um reflexo da busca pela alta performance. Dessa forma, a aparência acaba falando, e muito, sobre o caráter do futuro empregado. “Se você souber gerenciar bem seu corpo, certamente a leitura que será feita de seu caráter é a de que você é um sujeito que sabe viver bem, um bom profissional, alguém que não é desleixado e sabe administrar a vida de forma competente”, diz. “Fatalmente, intui-se que pessoas de boa aparência são bem sucedidas em outros aspectos da vida, o que nem sempre é verdade”. Colocados na berlinda, sujeitos a críticas e olhares de reprovação, os gordinhos ainda tendem a ter a auto-estima prejudicada.

Como ser um candidato peso pesado e bom de entrevista

Se você está acima do peso é possível que já tenha perdido algumas oportunidades de emprego ou uma promoção na carreira profissional. Mas, calma, não se desespere. Apenas corrija o que for possível corrigir. “Em uma entrevista de emprego, a aparência é fundamental mas não determinante”, afirma o headhunter Marcelo Braga, da consultoria Search RH. “Ter um corpo perfeito não é sinônimo de sucesso”. Na entrevista, estão em cheque a simpatia, os trejeitos, a capacidade de trabalhar em equipe, a assertividade das respostas, entre outras características que passam ao largo das medidas corporais. Além de um bom currículo, o importante é direcionar o foco da atenção do entrevistador. Para evitar o rótulo do “entrevistado gordinho”, livre-se dos ares de derrota e da baixa autoestima.

A seguir dicas do especialista para reverter uma possível primeira má impressão e se destacar nas entrevistas:

– Use roupas na medida para evitar desconfortos e constrangimentos
– Ensaie um aperto de mão firme que passe segurança. Em momentos tensos, pode ocorrer sudorese das mãos, leve um lenço por precaução.
– Simpatia e sorriso no rosto mostram receptividade e abertura
– Atenção à postura: coluna e ombros eretos demonstram disposição e pró-atividade
– Olho no olho durante a entrevista passam sinceridade e auto-segurança
– Piadinhas sobre a própria condição podem ajudar a derrotar opositores de primeira. Mas preste atenção a receptividade do entrevistador. Principalmente se ele for gordinho.

Veja aqui a materia no portal Exame.

Deixe uma resposta