Capital x interior: conheça a diferença do mercado de trabalho – UOL e Infomoney

O mercado de trabalho no Brasil está divido entre as capitais e as cidades do interior. Mas será que o perfil de emprego nessas regiões é o mesmo? Qual contrata mais? Onde é mais fácil conseguir uma recolocação? Em que lugar a qualidade de vida é melhor? E o salário?

Segundo o gerente de Atendimento da Catho Online, Lucio Tezotto, existem vantagens e desvantagens em ambas as regiões. Ele explica que, nas capitais, por haver uma concentração maior de pessoas, por haver mais acontecimentos e por proporcionar mais oportunidades de negócios, as chances de conseguir um emprego são mais altas, se comparadas com as do interior.

Tezotto explica ainda que o perfil do profissional procurado pelas empresas na capital é diferente do das empresas no interior. “A velocidade em que ocorrem os fatos faz com que os profissionais tenham sempre que estar atualizados. Às vezes, a falta de uma informação pode impedir que se feche um negócio. O profissional da capital é mais atualizado e qualificado”, afirma.

Outra característica do mercado de trabalho na capital é ser mais agressivo, aspecto que favorece profissionais jovens que buscam crescimento na carreira e estão mais dispostos a ceder em alguns aspectos. “Nesse ritmo frenético, os profissionais acabam aos poucos com a saúde”, declara Tezotto.

Emprego no interior

Já no interior, o mercado de trabalho é mais restrito por estar concentrado em alguma atividade específica da economia, como em Franca (SP), onde a atividade principal é a calçadista, ou em Camaçari (BA), que tem forte pólo industrial automobilístico.

Por serem cidades com menor quantidade de habitantes, a concorrência por uma vaga é menor. Outra vantagem de trabalhar no interior é ter maior qualidade de vida. “Isso deve ser ponderado, já que quase todas as capitais têm congestionamentos diários. Na capital, para ter mais qualidade de vida, é necessário um custo maior, o que não acontece no interior”, afirma Tezotto.

Em relação à remuneração, o salário dos profissionais do interior é menor, já que o custo de vida também é menor.

Planejamento

Como o mercado de trabalho no interior é menos agressivo, Pezotto explica que os profissionais acima de 45 anos podem aproveitar a experiência profissional para abrirem seus negócios, tornarem-se consultores ou professores.

“Sempre haverá uma opção, mas isso depende do planejamento da carreira do profissional, independe da região em que a pessoa está”, finaliza Tezotto.

Confira a materia nos portais: UOL e Infomoney.

Deixe uma resposta